Saiba tudo sobre a Sudorese: causas e tratamentos

sudorese

Sudorese é uma condição de saúde, popularmente conhecida por suor excessivo, justamente por conta da sua principal característica que é a transpiração fora do normal, em excesso. 

Transpirar é um processo biológico e natural do organismo, que tem a principal função de resfriar e regular a temperatura do corpo, mantendo-a em equilíbrio. 

Quando a temperatura corpórea aumenta demais, o organismo transpira liberando o suor pela pele, que em quantidades normais é essencial para resfriar a corrente sanguínea que vai irrigar outros órgãos. 

Uma transpiração tida como normal, não interfere na vida do indivíduo e nem causa maiores desconfortos. 

Em geral, pessoas transpiram quando expostas à mudanças na temperatura como o calor, são submetidas a fatores estressantes (de ordem emocional) ou quando praticam alguma atividade física.

No entanto, quando o suor é excessivo, fazendo com que a pessoa transpire até em repouso ou dormindo (sudorese noturna), consideramos o fenômeno um sintoma de sudorese ou hiperidrose.

Entenda melhor abaixo!

O que é Sudorese?

Por definição, a sudorese é a “transpiração profusa”, resultado de uma condição médica que aumenta a produção do suor, em quantidades consideradas excessivas (hiperhidrose). 

Através da transpiração, o organismo é capaz de adaptar o corpo humano às mudanças de temperatura do ambiente externo e interno (no caso de infecções) a que somos expostos.

Em condições normais, o suor é produzido e liberado pela pele quando somos submetidos ao calor ou quando praticamos atividades físicas. 

São as glândulas sudoríparas, presentes abaixo da derme, as responsáveis pela produção e eliminação do suor. Porém, existem dois tipos de glândulas sudoríparas: écrinas e apócrinas.

Quando há hiperatividade das glândulas écrinas, a consequência é a sudorese excessiva ou hiperidrose.

Os seres humanos possuem cerca de 2 a 5 milhões de glândulas écrinas distribuídas pelo corpo humano, sendo que os locais mais afetados pela condição são a palma das mãos, planta dos pés, axilas, crânio e rosto, que ficam constantemente molhados de suor, até em repouso.

Os sintomas da doença podem surgir a qualquer momento e idade, inclusive na infância, apesar de ser mais comum entre os 15 e 30 anos de idade.

Principais causas para sudorese

Quando a sudorese ou hiperidrose se apresenta como sintoma de doenças de base ou condições físicas, como hipertireoidismo, alterações hormonais, obesidade, menopausa, gravidez, diabetes, alcoolismo, doenças infecciosas (tuberculose), Doença de Parkinson, artrite reumatoide, AVC, insuficiência cardíaca, leucemia, linfoma e distúrbios psiquiátricos, ela é considerada secundária.

No entanto, a maioria dos casos de sudorese é primária, resultante de momentos de nervosismo, ansiedade ou estresse, sempre relacionada a instabilidade emocional e de ordem genética.

Sabe-se que quem possui sistema nervoso excessivamente ativo pode também desenvolver a hiperidrose primária. 

Alguns medicamentos psiquiátricos, para pressão arterial, antibióticos e suplementos também podem provocar sintomas de sudorese.

O aumento da temperatura ambiente, a prática de exercícios físicos, algumas reações emocionais e psicológicas de maior sensibilidade e até ingestão de comidas condimentadas e picantes podem aumentar a produção de suor, mas não podem ser consideradas causas para hiperidrose primária.

Mas e a sudorese noturna?

Chamamos de sudorese noturna quando acontece uma transpiração excessiva enquanto dormimos.

O fenômeno pode ter diversas causas, mas normalmente é causada por algum fator adjacente, podendo até indicar a presença de uma doença ou condição física, como indicação de febre ou ser sintoma de menopausa, apneia do sono e ansiedade. 

Por isso, o ideal é observar quais situações a sudorese noturna costuma ocorrer e se vem acompanhada de outros sintomas, como febre, calafrios ou perda de peso.

Isso porque o suor noturno pode ser resultado de um simples aumento da temperatura no ambiente (calor) ou do corpo, como também alterações hormonais ou metabólicas, infecções, doenças neurológicas e até câncer.

Sem falar na possibilidade de ser resultado de hiperidrose, que pode ocorrer de forma generalizada no corpo além de nas mãos, axilas, pescoço ou pernas, a qualquer hora do dia.

Portanto, como há diversas causas, observe se o suor noturno é persistente ou intenso, e procure um médico para investigar as possíveis causas. 

Além disso, como a sudorese noturna não é necessariamente uma doença, é importante descobrir a causa e tratá-la, a fim de evitar a sua ocorrência. 

Diagnóstico para sudorese

A sudorese não é uma doença grave e nem uma emergência médica, mas se a transpiração estiver acompanhada de outros sintomas, como calafrios, tontura, dor no peito ou no estômago, procure um médico. 

Isso porque suar frio sem causa aparente pode ser um sinal de infarto.

Se for algo constante, com suor excessivo mais que o normal, a ponto de atrapalhar a sua rotina, há vários especialistas que podem ajudar, como clínico geral, endocrinologista, ginecologista, cardiologista e até dermatologista, no caso da hiperidrose.

Sudorese com cheiro forte

Talvez você nunca tenha ouvido falar de bromidrose, mas com certeza sabe o que significa a palavra “cecê”. 

Um termo popular muito utilizado para descrever o cheiro desagradável de  suor, principalmente das axilas.

De um modo geral, é muito comum esse mau cheiro, mas não paramos para pensar porque algumas pessoas tem esse odor acentuado e outras nem tanto.

Como já explicamos, o suor é produzido pelas glândulas sudoríparas, espalhadas debaixo da pele, em algumas regiões específicas do corpo. Dentre elas, temos as glândulas écrinas e as apócrinas.

As glândulas écrinas estão presentes na superfície de praticamente o corpo todo com a função termorreguladora. 

O suor produzido por ela é eliminado através dos poros da pele, sendo constituído basicamente de água e sais minerais, sem odor.

Já as glândulas apócrinas, ficam localizadas em apenas determinados locais, como axilas, virilha, couro cabelo e mamilos, onde há pêlos. 

Em geral, esses locais são mais úmidos e quentes, ficando mais propícios a proliferação de bactérias, que se alimentam da decomposição das células mortas do local.

Quando em contato com esse microorganismos, a sintetização do suor pelas bactérias no local acaba gerando esse cheiro desagradável que recebe o nome de bromidrose.

No caso das axilas, é chamada de “bromidrose axilar” ou cecê. Quando ocorre na planta dos pés, é chamada de “bromidrose plantar” ou chulé. Mas a bromidrose pode ocorrer em outras regiões do corpo também.

Além da atuação de microrganismos, a diabetes, consumo exagerado de bebidas alcoólicas, alguns remédios, hormônios e alimentos condimentados também podem deixar o suor com mau cheiro.

Sudorese na cabeça

Sudorese na cabeça deixa o couro cabeludo constantemente úmido ou os cabelos molhados, podendo até escorrer suor pela testa. 

Além do desconforto, essa umidade constante também pode prejudicar tanto os fios de cabelo como também o couro cabeludo.

As causas da sudorese na cabeça costumam ser patológicas dependendo da quantidade de suor produzida, podendo ser primária ou secundária (menos comum).

Quando secundária, as causas estão relacionadas a alguma doença de base, como tireóide hiperativa, diabetes ou infecção, menopausa (climatério), obesidade, tabagismo ou consumo excessivo de álcool.

Já quando a sudorese é de ordem primária, muito mais comum, ela é desencadeada pelo próprio suor produzido pelas glândulas écrinas presentes na cabeça.

Há algumas opções de cuidados básicos para diminuir a quantidade de suor excessivo na cabeça, como por exemplo:

  • Manter uma dieta equilibrada, evitando alimentos condimentados, picantes e gordurosos, para não sobrecarregar o organismo ao processá-los;
  • Usar um produto antitranspirante próprio para o couro cabeludo;
  • Manter os cabelos presos em dias muito quentes;
  • Não usar acessório na cabeça que impeça o couro cabeludo de respirar.

Sudorese nas mãos

A sudorese nas mãos está diretamente relacionada às glândulas sudoríparas écrinas, que produzem o suor excessivo (hiperidrose), só que sem mau cheiro.

É uma condição médica, de ordem primária, em que não se sabe exatamente a causa, mas que está relacionado a fatores genéticos ou distúrbios emocionais.

Remédio para sudorese

Existem vários tratamentos para a sudorese ou remédios para hiperidrose, dependendo das causas e local específico.

Na maioria das vezes, não existe uma cura, mas é possível aliviar o sintoma do suor excessivo e evitar o constrangimento.

Alguns cuidados com a higiene diária e o uso de produtos antitranspirantes podem ajudar bastante.

É o caso do antitranspirante Odaban, que pode ser uma solução para a sudorese em várias partes do corpo, inclusive combater o mau cheiro, ao ser capaz de controlar a produção exagerada de suor.

Apenas a intervenção cirúrgica é capaz de acabar com a sudorese, mesmo assim ela pode voltar, dependendo da sua causa, ou gerar uma sudorese compensatória em outra região do corpo. 

Por isso, soluções menos invasivas costumam ser mais eficientes em termos de custo benefício.

O Odaban, é de origem inglesa, possui mais de 40 anos de mercado, vendido em mais de 20 países, com resultados comprovados cientificamente, capazes de melhorar a qualidade de vida de diversas pessoas que sofrem com a sudorese.

Ele pode ser aplicado em qualquer parte do corpo que apresenta hiperidrose. 

O produto vem se tornando líder mundial de vendas para tratamento de suor excessivo, inclusive durante a noite.

 

Portanto, se você está cansado de sofrer com a sudorese, experimente usar Odaban!

Posts Recentes

Matérias publicadas sobre sudorese:

Sudorese x Hiperdrose

Diversas pessoas não têm ideia da diferença entre sudorese e hiperidrose. Você é uma dessas pessoas? Não se desespere. Essa dúvida é muito comum. Porém

CONFIRA »

Ansiedade causa sudorese?

Você está em dúvida se ansiedade causa sudorese? Nem todos têm conhecimento, mas o excesso de suor pode estar muitas vezes relacionado a ansiedade. Isso

CONFIRA »