sudorese noturna

Sudorese noturna: causas e tratamentos

A sudorese noturna, popularmente conhecida por suor durante o sono, costuma ser comum em épocas em que as temperaturas são mais altas, principalmente no verão. 

Neste caso, o fenômeno é o resultado direto de um processo natural de transpiração do corpo para regulação da temperatura interna. 

No entanto, quando essa transpiração noturna ocorre mesmo em temperaturas baixas, é preciso atentar-se à situação que pode ter desencadeado e se há outros sintomas associados, como febre, calafrios ou perda de peso.

Isso porque a condição costuma ter diversas causas diferentes, podendo indicar a presença de uma infecção, doença mais séria ou ser sintoma de alterações hormonais ou metabólicas.

A hiperidrose (produção excessiva de suor pelas glândulas sudoríparas) também pode provocar a sudorese noturna, embora ocorra a qualquer hora do dia.

Assim, por ter diversas causas, caso o suor noturna seja persistente, intenso e recorrente, o ideal é procurar um médico para investigar.

Leia mais sobre o assunto abaixo!

O que é sudorese noturna?

Sudorese noturna é o suor em excesso durante o sono. Pode ser apenas o resultado de um aumento de temperatura corporal pelo calor ou ser causada por algum fator adjacente. 

Como possui inúmeras causas, algumas mais sérias que outras, é sempre importante investigar em quais situações costuma ocorrer e que outros sintomas acompanham o suor, já que pode ser um sintoma de várias doenças, infecções ou desbalanços hormonais.

Causas da sudorese noturna

Segundo os dermatologistas, a sudorese noturna pode ter inúmeras causas, como por exemplo, ser provocada por estresse e ansiedade, abcessos, abstinência de substâncias psicoativas ou efeitos colaterais de outras medicações, distúrbios do sono (apneia), derrame, HIV, leucemia, hipertireoidismo, hipoglicemia, tuberculose, abuso de álcool ou drogas, hiperidrose, etc.

Quando causada pela temperatura elevada do ambiente, não há com o que se preocupar. Vamos ensinar mais a frente como controlar este incômodo.

Mas caso seja recorrente e acompanhada de outros sintomas como febre e perda de peso, ela pode indicar uma condição mais grave.

Casos mais comuns de suor noturno são normalmente provocados por febre, mediante alguma infecção, gripe ou por hipertermia.

Já as alterações metabólicas causadas por excesso de álcool no organismo ou por doenças como a diabetes também costumam desencadear a sudorese noturna. 

Nesses casos, a transpiração em excesso é devida à falta ou excesso de glicose no sangue, muito comum durante a noite, por conta do tempo em jejum.

No caso de doenças neurológicas, visto que o cérebro é o órgão responsável pela regulação da temperatura do corpo, a sudorese noturna pode estar associada à doença de Parkinson ou Alzheimer. 

Por fim, os desequilíbrios hormonais, provenientes de alterações na tireóide, menopausa e alguns efeitos colaterais causados por medicamentos, também podem ser fatores causais do suor noturno.

Sudorese noturna em mulheres

Como a sudorese noturna tem muitas causas diferentes, ela pode ocorrer tanto em homens quanto mulheres, com exceção da menopausa.

Mulheres com idade próxima aos 50 anos podem começar a ter episódios de suor noturno causado pela menopausa.

Isso porque é um período marcado pelo desequilíbrio hormonal, com altos e baixos no nível de hormônios que também influenciam na temperatura corporal.

Durante a menopausa, é comum a mulher acordar com frequência durante a noite com falta de ar e suando de calor, além de outros sintomas associados como ciclos menstruais irregulares, pele seca e irritabilidade.

Embora a menopausa não seja uma doença, quando os sintomas começam a comprometer a saúde e qualidade de vida da mulher, o ideal é procurar um médico para indicar os melhores tratamentos para o alívio desses sintomas, como a terapia de reposição hormonal.

Além da menopausa, oscilações dos hormônios estrogênio e progesterona nos períodos pré-menstruais também podem aumentar a temperatura do corpo e provocar episódios de sudorese noturna.

Sudorese noturna em homens

Os homens também podem sofrer com a sudorese noturna por diversas causas aqui já descritas, principalmente causadas por apneia do sono, obesidade, diabetes, abuso de substâncias químicas (drogas e álcool), bem como estresse e ansiedade.

Mas assim como nas mulheres acima de 50 anos, o suor noturno também pode ser provocado pela andropausa, que acomete 20% dos homens.

Ele ocorre por conta da queda dos níveis de testosterona, que além da sudorese noturna, acompanha ondas de calor, irritabilidade, insônia e diminuição da libido. Homens submetidos ao tratamento de tumor da próstata também apresentam o suor noturno como efeito colateral dos medicamentos para redução da testosterona.

Nestes casos, o homem deve buscar um urologista para orientá-lo no melhor tratamento de reposição hormonal da testosterona, exceto aqueles com câncer de próstata.

Tratamento para sudorese noturna

Apesar da sudorese noturna ter tratamento, ela não é necessariamente tratada como doença. Além disso, não há uma cura definitiva para a condição, mas dependendo da intensidade do suor, pode ser completamente controlada. Veja:

Tratamento tópico para sudorese noturna

Para aliviar o suor durante a noite, você pode fazer uso de cremes ou loções desodorantes, antitranspirantes e adstringentes. 

Isso porque as glândulas sudoríparas estão menos ativas à noite, sendo este o melhor momento para aplicar esses produtos. 

Quando a pele está limpa, seca e sem suor, ela é capaz de absorver melhor o produto, garantindo a eficácia contra o suor durante a noite de sono até o dia seguinte.

É o caso do Odaban, o antitranspirante mais vendido em todo mundo e o mais indicado por dermatologistas em casos de sudorese noturna.

Tratamento medicamentoso para sudorese noturna

Casos muito graves de suor excessivo podem ser tratados com ansiolíticos, antidepressivos e anticolinérgicos, que agem sobre o sistema nervoso e diminuem o estímulo das glândulas sudoríparas. 

No entanto, os sintomas de suor só diminuem sob o efeito contínuo destes remédios para hiperidrose, Além disso, os efeitos colaterais são vários e nada agradáveis, como boca seca, alteração na visão, sedação, entre outros.

Tratamento com Toxina Botulínica (Botox)

Recomenda-se a aplicação da Toxina Botulínica em casos de hiperidrose leve ou moderada que não respondem ao tratamento tópico. 

Mas a aplicação costuma durar em média de 6 a 8 meses, sendo necessárias novas aplicações após esse prazo.

E já que a sudorese noturna costuma se manifestar pelo corpo inteiro, essa medida não seria a mais indicada.

Tratamento cirúrgico para sudorese noturna

O tratamento cirúrgico é apenas recomendado em casos de hiperidrose grave a moderada, quando afetam a qualidade de vida da pessoa.

O procedimento é invasivo, conhecido por Simpatectomia Torácica por Videotoracoscopia, em que se faz a interrupção da transmissão dos nervos que são responsáveis pelo suor em excesso.

No entanto, o tratamento cirúrgico não garante a cura da hiperidrose, pois é comum acontecer do suor migrar da região onde foi realizada a operação para outras regiões do corpo, provocando a chamada hiperidrose compensatória.

Então, como acabar de vez com a sudorese noturna?

Quando a sudorese noturna se torna recorrente ou passa a prejudicar a qualidade de vida da pessoa, o ideal é procurar um médico para tratar as possíveis causas adjacentes.

No entanto, caso a origem do suor excessivo durante o sono não seja de ordem patológica, algumas mudanças de hábito na rotina podem ajudar a controlar ou até evitar o suor noturno, como a seguir:

  • Use roupas mais leves para dormir, que facilitem a respiração da pele;
  • Escolha roupas de cama de algodão ou de tecidos leves e de fácil transpiração;
  • Mantenha a temperatura do quarto fresca e o ambiente ventilado durante a noite;
  • Tome um banho morno antes de dormir para regular a temperatura corporal;
  • Evite consumir alimentos picantes, termogênicos, estimulantes e bebidas alcoólicas antes de dormir;
  • Passe uma loção antiperspirante antes de dormir, como o Odaban.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Posts Recentes